Curiosidades Danee

Danee completa 10 anos de carreira e conta para nós um pouco da sua jornada

junho 26, 2017Portal Underground


O DJ catarinense Danee acaba de completar 10 anos de carreira com a música eletrônica, e nos contou um pouco sobre a sua trajetória! Confira!

Como começou a sua relação com a música eletrônica?
De forma mais atenta aos meus gostos, começou na adolescência, como era menor de idade e não podia ir em festas ainda, ouvia muitos programas de rádio de pop, dance music e programas das baladas da região. Foi aí em que meu gosto começou a se moldar porque nenhum outro estilo me emocionava ou agitava tanto quanto os estilos com bases eletrônicas. A partir daí comecei a pesquisar mais sobre cada artista, cada estilo e estou assim até hoje, nunca é o suficiente e você sempre está descobrindo coisas novas. A música eletrônica é um gênero muito rico em diversidade, lançamentos e isso ajuda a atrair cada vez mais publico pra esse mercado.

Conte para nós, como foi a sua primeira gig?
A minha primeira apresentação em público foi logo após eu terminar meu curso de DJ na AIMEC em Balneário Camboriú, era um evento organizado por eles para DJs convidados e alunos. Eu toquei em b2b com a Ravene Voluz e foi onde eu pude ter o primeiro contato com essas situações. A partir daí comecei a me dedicar cada vez mais, aperfeiçoando e criando técnicas de mixagem que fossem características no meu set, refinando cada vez mais meu gosto e minha pesquisa e aproveitando ao máximo cada oportunidade que eu tinha de tocar pra poder mostrar ao público e aos contratantes que sempre iriam poder confiar em mim porque sempre estaria dando meu melhor independente dos horários ou dos estilos de pista.

Quais foram as suas realizações mais marcantes até o momento, e quais são as realizações que você almeja para os próximos anos?
Existem muitas que me orgulham lembrar, entre elas é ser reconhecido como parte ativa da cena do sul do país, principalmente na minha região, viajo pra tocar constantemente nos principais mercados de música eletrônica do país (SP, PR, SC, RS..) além de já ter tido a oportunidade de tocar em dois lendários clubes europeus, o Heaven (Londres) e o Tresor (Berlim) e festivais como a Tribaltech. Os feedbacks que eu tenho por parte do público nas redes sociais sobre minhas apresentações no Warung também são motivo de um orgulho pessoal muito grande porque é difícil você ser lembrado por um warm up numa festa com tantos artistas internacionais de peso e mesmo assim na semana seguinte as pessoas pararem seu tempo pra comentar o quão especial foi o warm up que presenciaram. Pretendo continuar nessa pegada, fazendo um trabalho consistente e contribuindo de alguma forma para que o público tenha sempre ótimas opções nacionais e locais pra consumir música eletrônica.


O que você nota de diferente nestes 10 anos de carreira?
O que mais me impressiona é o acesso a informação, o dinamismo do mercado tendo criado diversos nichos e públicos bem específicos. Quando comecei a cena era meio polarizada aqui em Balneário Camboriú, era apenas techno pesado ou psytrance. De uns anos pra cá nós vimos uma abertura muito grande para outros estilos, naquela época ninguém imaginaria uma festa com bpm mais lentos como os do deep house tocando uma noite inteira, por exemplo. Hoje existem diversos núcleos, cada um com suas particularidades e gostos, desde techno, minimal, dub, progressive house, deep house, tech house.. e quem ganha é o público, porque apesar das diferenças entre gêneros, todos querem a mesma coisa que é fomentar a cena com conteúdo.

Quais as comemorações teremos para celebrar esta década de carreira?
O ano de 2017 será de comemorações. Tive a oportunidade de estrear na Colours e no Chakra recentemente e na ODD em São Paulo, além de já ter tido uma comemoração muito linda numa edição do detroitbr em Piçarras onde dividi o palco com L_Cio e haverá uma muito especial também, que será no clube onde eu tenho residência, o At HOME na Praia Brava em Itajaí e dessa vez o presenteado é o público porque o convidado especial da noite será Ney Faustini, um dos melhores do Brasil hoje na minha opinião. Vou começar a noite fazendo warm up e depois vou deixar o som por conta dele até o fim pra que eu possa curtir esses dia com meus amigos.. na pista!



Mais conteúdo que pode te interessar

0 comentários

Formulário de contato