Curiosidades DJs

Produtor Gaúcho Eduardo Drumn nos fala sobre sua carreira e suportes de Loulou Players e Kolombo

março 15, 2016Portal Underground


Entrevistamos o gaúcho Eduardo Drumn. DJ desde 2011 e produtor desde 2014, alcançou em 2015 a posição de 27º no ranking do top 100 do Beatport, obtendo suporte de artistas como Kolombo, Loulou Players, Vanilla Ace, Stage Rockers e muitos outros! Confira a entrevista curtindo o podcast que ele gravou especialmente para o Portal Underground:


Conte como foi o início da sua carreira!

Meu primeiro contato com a musica eletrônica foi quando eu estava no colégio, meus colegas mostravam as músicas que baixavam, as músicas que escutavam na rádio, e eu fui me interessando. Minha irmã fazia jantas em casa com seus amigos, e às vezes eu estava presente tocando as músicas sem parar.

Comecei a pesquisar muitas músicas, buscando sites, mídias e tudo mais, até que um amigo me apresentou um programa de DJ, que na época eu achava o máximo. Após isso, resolvi ir à fundo estudando em casa mesmo, em vídeos de tutorias mostrando os equipamentos, como eram operados, mesmo eu não tendo tido nenhum contato ainda com os CDJs. Até que um dia um amigo me emprestou um, e todo dia eu treinava.

As primeiras festas que toquei eram pra amigos, com um estilo diferente de hoje, mas o nervosismo sempre tomou conta, e até hoje toma. Foi super legal poder ver eles pulando, gritando e se divertindo.

Comecei a tocar profissionalmente em uma festa chama “Sunday House”, onde eu fazia parte com mais dois amigos. Foi bem bacana, gostei muito!

Como foi o seu primeiro contato com a música eletrônica?

Meu contato mesmo com a música eletrônica foi em uma festa aqui na minha região. Eu observava tudo na volta, como as pessoas reagiam a cada virada, a cada batida diferente, daí eu decidi que era isso o que eu queria.


Como nasceu o amor pela música?

Eu sempre gostei de música, sempre ouvia todos os estilos, músicas antigas e atuais. A música me deixa feliz em todos os momentos.

O que a música significa para você?

A música pra mim significa liberdade, liberdade de você dizer o que pensa, de mostrar como você se sente, de descobrir coisas novas.

Qual é o estilo musical que você mais escuta por prazer?  E para compor os seus sets, qual é o estilo musical que você prefere? Por que?

Eu gosto de muitos estilos, não há um estilo que gosto mais ou menos, mas gosto de quando a música te faz lembrar de coisas, que lembram sentimentos, vocais lindos…

Na maioria dos meus sets eu tento mostrar algumas produções minhas, algumas produções dos meus amigos, e algumas músicas que me chamam a atenção. Gosto de misturar o meu estilo com outros, misturo um pouco de House Music, Tech House e Deep House.

Qual é o seu DJ preferido? Se você pudesse fazer um B2B com qualquer DJ, qual seria? Por que?

Eu sigo muitos nomes, mas os que eu mais tenho olhado são o Kolombo e o Loulou Players. Gostaria e muito de um B2B com qualquer um dele, porque são do mesmo estilo que eu produzo. O Kolombo foi um dos primeiros DJs que eu tive a oportunidade de assistir a apresentação, e eu gostei demais!!

Sempre escuto os dois também, porque é um estilo que eu me identifico demais. Depois começo a produzir algo parecido, e vou seguindo do meu jeito.

Qual foi o melhor momento da sua carreira? Por que?

O melhor momento até agora foi ver os dois caras que eu mais gosto dentro da música eletrônica tocando a minha musica. A primeira vez foi no Warung Beach Club, havia 10 minutos que eu havia entrado. Neste momento, o Loulou estava tocando e eu ouvi a minha música! Fiquei muito feliz na hora! A outra vez o meu amigo Fran Bortolossi me mandou uma mensagem da Argentina onde ele e o Kolombo estavam tocando, e o Fran me disse “O Kolombo acabou de tocar uma música, e acho que era sua..” Nossa, fiquei de boca aberta. Após isso, achei muitos vídeos dos dois tocando minhas músicas.

Quando/como você começou a produzir? 

Comecei a ter interesse logo após começar a tocar profissionalmente, eu não estava ganhando espaço na cena, então decidi me focar na produção. Pesquisei sobre os programas, como criava tal coisa, fiz alguns cursos, mas sempre que eu tinha alguma dúvida, ia atras de algum tutorial. Fiquei um tempo longe das pistas, tocava muito pouco, mas eu estava produzindo, lançando minhas musicas e crescendo o meu nome como produtor musical.

Sobre as tracks que você já produziu, qual é a sua inspiração? Quais foram tocadas por quais DJs de peso? 

Minha inspiração sempre é pensar que eu posso fazer melhor, posso melhorar alguma coisa, e eu vou lá e tento. Como falei antes, duas músicas tocadas por duas pessoas que sou fã: primeiro o Loulou tocou minha track “Dirty Baby” que logo sairá pela Loulou Records, e a outra o Kolombo toca direto que é a “This is the Way”, que sera lançada pela Sleazy G em breve.


Como você se sentiu quando descobriu que suas tracks haviam sido tocadas por eles? Quais são suas projeções para o futuro?

Na hora eu não sabia o que fazer, se eu gritava ou gravava, mas é demais quando você ouve ou descobre que algum cara que você é fã toca a sua música Estou me focando mais e mais para melhorar e que eles toquem mais minhas músicas, mas também tenho outras ambições em outras gravadoras.

Conte um pouco pra nós desta fase de produção que vem emplacando várias tracks entre as top 100 do Beatport?

Quando eu descobri que minha música tinha entrado no TOP 100 eu não acreditei, sempre via os nomes grandes lé, e quando eu entrei estava a minha música junto. Eu fui à loucura, comecei a produzir mais e mais, porque isso me motivou, tanto que consegui chegar 3 vezes neste ranking.

O que a galera que curte e acompanha teu trabalho pode esperar para esse ano?

Pode esperar muitas bombas, estou trabalhando em algumas faixas que eles gostaram muito, tem algumas colaborações com alguns nomes, mas aguardem que vai ter muitas novidades esse ano!

Eduardo Drumn nas redes sociais:

Mais conteúdo que pode te interessar

0 comentários

Formulário de contato