Curiosidades

As 20 Capitais da Música Eletrônica no Mundo

março 13, 2015Portal Underground

A música eletrônica é, mais do que nunca, um fenômeno mundial, e muitas novas localidades ao redor do globo se tornaram potências neste quesito. Conheça agora as 20 localidades mais significativas para a música eletrônica no mundo atualmente, e saiba o que torna cada uma delas especial.


20. Detroit

Devemos à Detroit Derrick May, Juan Atkins, Kevin Saunderson, Carl Craig, Stacey Pullen, Jeff Mills, Richie Hawtin e Magda. Mas o que realmente coloca Detroit no mapa é o sucesso máximo é o Festival Movement, uma vez conhecido como DEMF. Em um país que demorou para aceitar o underground, este evento que acontece no final de Maio tem educado as massas por 15 anos com os maiores nomes do Techno e do House no mundo

19. Joanesburgo

Joanesburgo é o centro sul-africano da música eletrônica, é onde tudo começa. Lá há o dobro de clubes do que em outras cidades na África do Sul, o dobro de artistas e duas vezes mais Festivais. Algo está sempre acontecendo por lá, seja em municípios, nos distritos industriais ou nas profundezas da cidade. As pessoas são muito amigáveis e as coisas são relativamente acessíveis, fazendo com que a sua experiência na cidade seja muito proveitosa.

18. Sidney

Clubes como Chinese Laundry, The Spice Cellar e Burdekin Hotel fornecem aos amantes da cena eletrônica na cidade os melhores talentos da Europa e dos EUA regularmente. Enquanto isso, o verão na cidade é lotado de Festivais, como o Sidney Festival e Lost Paradise.

17. Tóquio

A vida noturna japonesa foi sobrecarregada muitos anos pelas suas leis restritas e arcaicas que proibiam a dança, o que fazia com que não fosse permitido dançar em diversos clubes. No entanto, houveram mudanças nos últimos antes, libertando todos para aproveitar a vida noturna da cidade. Com o fantástico clube Womb dando lugar à grandes nomes da cena eletrônica underground mundial como Sven Vath, Ben Klock, Loco Dice e Sasha, dançar é, agora, um dever em Tokyo!


16. Milão

Mesmo que muitos dos mais renomados clubes da cidade tenham fechado devido à severidade da polícia local e o impacto da crise econômica, a cena underground de Milão é muito, muito viva! Eventos semanais de grande porte são dados semanalmente em locais como Tunnel Club, Dude e o imenso Fabrique. Anualmente ocorre também o Elita Festival, que oferece uma grande variedade de eventos musicais em clubes, espaços abandonados e teatros. Em Milão, há cada vez mais festas independentes e de baixo orçamento sendo lançadas pelos subúrbios, mostrando uma atitude de enfrentamento quanto à cultura de clubes que a cidade possui.

15. Goa

Goa sempre foi conhecida como a terra sagrada dos hippies e uma das capitais globais do trance psicodélico, graças ao Hilltop Festival, mas agora, está sendo transformada na capital da música eletrônica na Índia, atraindo turistas locais e internacionais todos os anos durante a época de Setembro à Março. Na praia de Baga está presente o Tito's & Café Mambo e o Cape Town Café, clubes famosos de House Music. Anjuna Beach, praia loca, inspirou o nome do label Anjunabeats do Above & Beyond, e abriga o Curlies, um paradouro com ambiente psicodélico ao lado do Oceano Índico, com vista para o pôr do sol. Em Goa há também, em dezembro, o festival de quatro dias Supersonic e o de três dias, Sunburn, recebendo, cada um, entre 35 à 75mil pessoas por dia.

14. Toronto

A fama da maior cidade do Canadá se deu no início dos anos 2000 com o superclub The Guvernment. Foi a época de ver todos os astros do House Progressivo antes do clube mudar para o EDM. A cidade que gerou Deadmau5 também produziu diversos artistas do House como Art Department, DJ Sneaj e My Favorite Robot. Footwork foi um grande clube da cidade, até fechar e dar lugar para o Coda, que recebeu artistas como MK, Maya Jane Coles, Apollonia, Nicole Moudaber, John Talabot e Ben Klock.

13. Glasglow

Assim como muitas cidades industriais, uma variedade de espaços interessantes são abandonados, perfeitos para serem convertidos em locais excitantes. No caso de Glasgow, muitas destas edificações possuem locais como galerias, bares e casas noturnas abandonados, ajudando Glasgow a se tornar um ponto criativo na Escócia. Em um local vibrante da cena underground está Slam, o duo responsável pelo impresso Soma, que já chegou à edição 400 recentemente. A cidade também é casa de artistas como Hudson Mohawke, Harvey McKay, Jackmaster e Optimo, além de labels como Numbers e LuckyMe, e a globalmente reverenciada Sub Club.

12. Manchester

Incontáveis documentários, livros e veteranos nos dizem que The Hacienda (clube famoso no final dos anos 80 e início dos 90) trouxe o Acid House para o Reino Unido e espalhou a cultura das festas através da nação, e o legado disso se manteve na cidade desde então. Após o Hacienda, houveram Sankeys e The Warehouse Project, se tornando globalmente conhecidos na cena eletrônica mundial, enquanto locais como Gorilla, The Albert Hall e Soup Kitchen forneciam espaços únicos para trazer os melhores artistas da cena eletrônica underground para a cidade.

11. Los Angeles

A cidade de Los Angeles possui muitos clubes, assim como sua vizinhança. Enquanto o clube Avalon tem funcionado por mais tempo, as festas da label Culprit colocam um Los Angeles dentro dos padrões de qualidade para ser reconhecida internacionalmente. Somethig Deeper, Exchange, Sound e Lot613 são festas semanais que merecem destaque também.

10. Montreal

Quando se trata de música eletrônica, Montreal é conhecida por duas coisas: Stereo e MUTEK. O famoso clube "afterhours", Stereo, já recebeu estrelas lendárias, trazendo long sets do melhor tipo. Danny Tenaglia tocava verdadeiras maratonas lá e agora, não é surpresa quando um DJ diz que toca até a hora de ir pegar o seu vôo pela manhã - Carl Craig, Maceo Plex, Matador e Hot Since 82 estiveram lá recentemente. MUTEK, o Festival anual que ocorre em Junho, traz o melhor do Techno, trazendo nomes como James Holden, Lucy e Steffi. Adventure Club e A-Trak são de Montreal, mas Blond:ish representa o underground deles mais do que ninguém. A cidade também possui uma grande e saudável rede de labels e revistas que ajudam a cidade a seguir seu rumo.


9. Bucareste

Bucareste é conhecida por ser considerada por DJs como Steve Lawler e tINI o melhor lugar do mundo no quesito clubes. Ela possui uma reputação de ser uma cidade com um público "faminto", louco pela noite e que, mesmo com a falta de clubes de renome na cidade, traz artistas como Sammy Dee, Sasha, Nic Fanciulli, Matthias Taznmann e Apollonia - muitos dos quais têm vindo para a cidade diversas vezes seguidas também para visitar clubes como Studio Martin.

8. Barcelona

Assim como Berlim, Barcelona possui um transporte público fantástico, e o seu dinheiro certamente renderia muito mais do que em outras cidades europeias, sem mencionar que a cidade é lar de uma das melhores culinárias do mundo. Barcelona é sede de eventos que ocorrem por toda a cidade, em clubes, colinas e telhados durante o Festival Sonar e o Off Week. Durante este tempo, todos os labels, promoters, agências, DJs e clubes do mundo se reúnem em cada esquina da cidade para uma semana de networking, hedonismo e música boa. Mas o charme de Barcelona também está na sua vontade de ser diferente, como os festivais MUTEK e Mira mostram, ambos trazendo uma gama incrível de artistas e um mix visual muito forte. Os clubes Razzmatazz e La Terrazza fazem com que artistas como Luciano, Joseph Capriati e Craig Richards mantenham suas visitas periódicas ao local.

7. Croácia

Enquanto essa é certamente uma adição singular ao mundo da música eletrônica, sendo que, lá, falta infraestrutura de clubes, a Croácia é, indiscutivelmente, uma das melhores localizações para Festivais de música eletrônica no mundo atualmente. Mais e mais a cada verão, e em todos os tamanhos, estilos e tipos, você pode fazer festa em lugares incríveis, como um anfiteatro de 2000 anos. Sem mencionar que o clima é maravilhosos: praias cristalinas e mais festas em barcos e navios do que se pode imaginar.

6. Miami

Tanto o Winter Music Conference quanto o Ultra Music Festival já trouxeram milhares de amantes da música eletrônica de todo o mundo para Miami. Space é lendário pelos seus 15 anos de festas incontáveis mas, agora, Story, Electric Pickel, Trade e Treehouse são clubes que competem parelho na cidade.

5. Nova York

Tudo começou com Studio 54, Paradise Garage, Limelight e Twilo. Output e Verboten mantém a cena do House e do Techno acesa na cidade que, uma vez, foi do clube Black Market Membership. Com certeza, essa é a cidade que dorme menos em todos os Estados Unidos.


4. Amsterdã

Clubes locais são - e sempre foram - uma forte presença na cidade de Amsterdã, sendo ela lar de nomes do underground como Tom Trago, Boris Werner, Sandrien e William Kouam Djoko. Clubes como Studio 80, Paradiso e Melkweg continuam mantendo as coisas acontecendo por lá, com o impressionante Gashouder sediando eventos gigantescos como Awakenings, além de diversos Festivais que ocorrem durante o verão. Lá ocorre também a conferência mais importante de música eletrônica no mundo: Amsterdã Dance Event.

3. Londres

Londres é uma grande referência na música eletrônica e uma das maiores forças do Reino Unido. Claro, Fabric é o club londrino que traz atrações de cair o queixo semanalmente, mas há diversas outras vias alternativas que dão vida à cena, incluindo Corsica Studios, Village Underground, XOYO, Egg, Studio 338 e Studio Spaces E1.

2. Ibiza

Ibiza é uma ilha linda, histórica e rica culturalmente, localizada no Mediterrâneo, que é sede de mais superclubes do que qualquer outro lugar no mundo. E com uma atitude despojada que diz "qualquer coisa dá certo aqui" há mini festivais ocorrendo 7 noites por semana durante todo o verão, e isso quer dizer que Ibiza vai continuar reinando suprema como o destino certo do verão, não importa quantas ilhas falsas são construídas. Cocoon, Amnesia, Space Discoteca, Sankeys, ENTER, é só escolher, qualquer um é garantia de qualidade suprema.

1. Berlim

A óbvia vencedora do primeiro lugar desta lista, obviamente, tem tudo. Quando se fala de clubes, você pode escolher entre Berghian e Watergate, clubes afterhours como Golden Gate, e locais singulares e selvagens como Chalet, Renate e Hoppetosse. Claro, o melhor em Techno e House está constantemente sendo oferecido para os amantes do underground, diretamente dos melhores artistas da cidade e do mundo, em absolutamente qualquer noite da semana. E com um transporte público de primeira qualidade, hospedagem acessível, e uma quantidade incrível de restaurantes bons e baratos e bares, quer dizer que você não precisa ter muito dinheiro para poder apreciar tudo que a vida noturna lá tem a oferecer. 


Mais conteúdo que pode te interessar

0 comentários

Formulário de contato